quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Os Falsos Testemunhos


Meus queridos companheiros, gostaria que todos vocês sentissem o valor do que é ser um servo de Deus. Quero que fiquem sabendo que nenhum de vocês que estiverem lendo essa carta não será mais um e sim, um servo de Deus em potencial. Gostaria que ficasse clara aqui a minha intenção em permitir, sem dúvidas, o direito de conceder a todos vocês, com todo o respaldo do alto, a honra de sentir o prazer do que é servir a Deus. Creio que, sem dúvida alguma, todos vocês gostariam de servir diretamente ao Pai, que reza para que todos entrem em sintonia com o alto e se tornem dignos de receberem as mais puras ordens e deixarem a cargo grandes obras destinadas aos mais belos objetivos. Agradeço por poder emitir essa mensagem a de tamanha importância a todos vocês, visto que nós estamos nos aproximando de um momento por demais interessante ou de extrema importância para todos os individuos deste planeta. Sigo aqui com bastante fé, que irei conseguir conquistar muitos em se tratando de tamanha precisão de um maior contingente de pessoas para trabalharem na obra do Senhor. Eu creio meus irmãos e companheiros de jornada aqui na terra, que não restam dúvidas a respeito de como temos vivido nessas últimas décadas e, como nossa honorável e divina luz esteja um tanto quanto apagada em virtude de tamanho interesse em julgar por mais valioso aquilo que deveria está vindo como segundo plano, que são as coisas materiais, sem os quais a maioria das pessoas estaria sem dúvida em grande desespero. Assim sendo, eu gostaria de reinvidicar para que meus filhos olhem mais para o verdadeiro sentido dessa gloriosa oportunidade que têm em suas mãos, e não deixem que escapem mais uma entre tantas que já tiveram, para que possam superar esse mesquinho interesses em se mostrarem superiores, por terem isto ou aquilo, ou por gerarem tantas dependências em estados eufóricos, ou ainda, por possuírem a oportunidade de adquirirem mais um objeto em vossas vidas e que pouco irá contribuir para as suas salvações como seres eternos que são.
Tenho visto aos montes os julgamentos a respeito de meus queridos irmãos em relação a outras pessoas que conhecem e que consideram como amigos por assim dizer, e que nada mais são que meros pontos de apoio, para se achegarem mais perto do interesse que rondam as vossas mentes mesquinhas. Estou falando das falsidades tamanhas que engendram os vossos cotidianos. Assim se fazem as relações na atual civilização, porque, sem dúvida alguma, as ditas relações de amizades que meus filhos consideram, não estão servindo para outra coisa a não ser para poderem merecer uma melhor posição social em meio a uma guerra de interesses descabidos, pois, e na grande maioria das relações que meus filhos se metem, são por puro interesse material e não pelo verdadeiro sentido de estarem compartilhando o verdadeiro sentido de uma amizade sincera e sem compromissos. Eu vos ofereço aqui, uma idéia bastante compreensível diante de tal atitude que vem ganhando força, que é: olhai para os vossos corações e verão que eles não estão cheios de outra coisa a não ser, se promoverem diante de um publico que em sua maioria nem conhecem. Porque vocês dão tanto valor a uma coisa tão sem sentido? Será que vocês não percebem a furada em que estão? Essa onda de vaidade a que a grande maioria da sociedade se meteu. Eu fico olhando e me perguntando: o que vocês irão fazer quando menos esperarem e estiverem sem energia e sem luz para fazerem os seus aparelhinhos funcionarem? Será que estou sendo claro meus irmãos? Espero que todos vocês que lerem essa carta parem para pensar um pouco na vida que estão levando, uma vida que gira em torno de tirar fotografias para colocarem nisso que vocês chama de rede social, com outro sentido que não, a aprovação daqueles que vocês tem em suas listas prediletas. É triste olhar e ver que em vossos assuntos não existe se quer um monte de banalidades. Quanto tempo perdido! A verdade é que quando uma rede dessas era pra estar sendo utilizada para fins úteis e de grande crescimento, meus filhos a utilizam apenas para satisfazerem o pequeno grande egoísmo que não os levarão se não para o abismo da ilusão desmedida. Nada mais fazem do que se exibirem e mostrarem, em sua grande maioria, uma falsa realidade, porque em verdade eu vos digo, o vosso interior está bastante deficiente em qualidade. Somos todos seres à procura da felicidade, mas que felicidade é essa que meus filhos estão buscando? Uma felicidade que ao próximo modelo de aparelho que for lançado ela se vai? Enganam-se profundamente aqueles que se perdem no caminho das futilidades e pensam que são felizes, pobres de espírito o são. São tão inseguros e dependentes de coisas, que optam por se acharem especiais por possuírem isso ou aquilo outro. O verdadeiro sentido da vida já a bastante tempo foi deixado de lado, que é servir ao próximo, ajudar a quem precisa, ou meus irmãos não enxergam tamanha pobreza que se alastra aos vossos redores, em lado a lado com o supérfluo de outros? Sem dúvida alguma a grande maioria se faz de cego ou surdo para o que vem acontecendo diante de vós, mas saibam que à medida que avançamos, as oportunidades vão se esvaindo assim como o tempo de possuírem algo realmente valoroso e eterno. Que tesouros estão juntando para o futuro? Ou vocês ainda crêem que não existe vida após a morte?

São Francisco de Assis