sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Paz

E o mundo clama por paz. Famílias despedaçadas, crianças torturadas, violência sem propósito e sem motivação. Vivemos em tempos de decomposição física e moral, nada importa, nem mesmo a vida. Lutamos a vida inteira por uma suposta liberdade, por uma vontade de voar sem limites, e eis que ao alcançar parte ou toda dessa liberdade, nos entregamos aos devaneios insanos de nossos desejos imorais. Vemos no outro objeto, ou no mínimo um concorrente, quando não é inimigo. Oração virou sinônimo de breguice e de fanático, procurar a Deus é coisa de gente que não tem o que fazer. E devagarinho caminhamos rumo ao desconhecido conhecido, pois na fé aprendemos que temos um rumo, um norte e um objetivo nesse plano. O que fazer diante de tanta falta de responsabilidade espiritual e material, como driblar a enorme egrégora de terror que paira sobre a humanidade? Dizem nossos guias: Vigiai e orai...repete-se alguém que você conheça? Sim, Jesus Cristo repete em teu coração há mais de 2000 anos essa frase, e mesmo assim ignoramos como se fôssemos senhores do universo e de nossos destinos. Voltemos há momentos de maior reflexão, onde fomos escolhidos para cumprir uma etapa nesse plano, ou seja, não viemos a passeio, viemos evoluir, reparar e ir além. Somos mais que pedaços de carne pensante, somos racionais e temos um Pai amoroso que nos aguarda. Libertemos a luz que brilha em nossos corações, sejamos sempre menos diante das ciladas da matéria, busquemos o amor sem exceção, sem distinção. Saber buscar a paz, saber sentir a paz, é o que nos falta, nada podemos diante de tão poderosa força a nos puxar ao alto....o amor de Deus.