quinta-feira, 9 de outubro de 2014

A ti devo a vida

As vezes corremos incessantemente buscando nossas melhorias, vender, trabalhar, investir. Mas quantas vezes paramos e observamos o que realmente nos falta? Falta-nos pouco ou quase nada, essa é a verdade, e muito pouco dessas bênçãos consegue lembrar-se a origem. E quando lembra, vem como forte ventania o pensamento que diz: "Trabalhei tanto, deve ser isso". Sabe, depois de longos anos trabalhando para manter minha família, percebi que somente eu não teria dado conta. Sim, cai hoje por terra um pedaço da máscara orgulhosa que utilizava. Ganhando pouco ou muito, ao longo de minha história o que vejo é um cuidado excessivo para que não me falte nada, nem a minha família. Sempre que uma venda não ia bem, um serviço não dava certo, aparecia uma oportunidade invisível à maioria dos olhos ao meu redor, e tudo se encaminhava. Já me perguntei muito em minhas orações: Porque eu, se errei tanto em minha vida? E sinto sempre a mesma resposta em meu coração: "Sim, você! A cada um de vocês escolhi cuidadosamente o caminho. Nas estradas que desenhei, não havia escuridão, não havia riscos, somente o necessário para que aprendesse a ser feliz. Se sofreu mais que o necessário, foi tu que escolheste, foi tu que desviou-se da estrada que desenhei. Mesmo assim nunca te abandonei, te busquei pelas mãos e pessoalmente o reconduzi ao caminho. Nunca te prometi o supérfluo, mas nada de essencial há de faltar. Lembra quando um estranho lhe falou na rua? Quando uma ligação estranha o convidava a reerguer-se? Era eu, e muitas vezes me ignorou. Sorri muito pela tua ingenuidade, e continuei a vigiar-lhe os passos de perto. E finalmente chegaste até aqui, forte na fé, renascido na maior parte de teus defeitos, e regozijo-me o momento de tê-lo novamente ao meu lado. E asim o é com cada um de seus irmãos, uns demoram mais a ouvir, outros menos, mas a todos amo de uma forma única. Persiste, lembra de cada vez que te abracei, e jamais chore por àquilo que não é teu. O que é teu guardo comigo, e espero com ansiedade o teu retorno".
Fico sem palavras e respondo com todo meu coração: Obrigado meu Pai, logo nos encontraremos e te pedirei perdão pessoalmente, por todas as vezes que duvidei dos teus cuidados comigo. Te amo meu Deus, e a ti devo tudo que tenho, e hoje sei que tenho mais que preciso, graças a ti. Que o Senhor seja louvado e a ti entrego mais uma vez a minha vida, a minha família.


Posted via Blogaway