domingo, 13 de janeiro de 2013

Relato recebido em 13/01/13


As amarguras me corroem o coração e o espírito. Estive entretendo-me com futilidades por mais de meio século de vida. Magoei por vezes aqueles que mais amei, e hoje deixo a vocês apenas este humilde relato, de quem precisou estar fora do fabuloso contexto da vida física para perceber o quanto deixei para trás. Voei durante quase oito anos procurando um ponto luz a me guiar. Digo voei pois não sentia terra sob meus pés, era como flutuar andando, perdido em um mundo cheio de amarguras e sofrimento. Vi outros que sofriam mais que eu, presos as amarras da carne, sentindo fortes dores em um corpo que não detinham mais. Nosso maior erro é este, achar que nosso corpo nos pertence, que somos donos do nosso destino. Oh desilusão, não conseguia sequer achar um rumo que desse tranquilidade, ninguém nem para conversar e desabafar. Quantas vezes precisei correr daquelas criaturas infames que pareciam famintos de sofrimento. Chego hoje até vós com a esperança de ser guiado pelo menos a um caminho menos escuro, não quero mais futilidades, menos ainda conforto, só preciso conversar um pouco, descansar de tanto tempo vagando sem destino. Obrigado meu Deus pela oportunidade, mesmo que seja momentânea de poder partilhar meu sofrimento com alguém, obrigado meu Deus por poder sentir uma ponta de esperança, por menor que seja. Espero poder retribuir e ajudar tantas outras pessoas que vi sofrendo neste percurso sem luz. Obrigado meus amigos por doarem um pouco do seu tempo a me escutarem.


S.C. (Identidade preservada)

Reaprendendo a viver



Servi-vos, o banquete está servido. Jesus vos aguarda à cabeceira da mesa e coloca-se mais uma vez em posição de servi-lhe. Olhe a sua volta, quantas coisas lindas recebeste de teu pai celestial, quantas bençãos foram derramados entre os teus a teu pedido, inclusive. Quanto supérfluo te fora dado, mesmo não precisando. Quanto de amor recebeu ao casar-se com a mulher que te acompanha fielmente. Quantos pingos de luz maravilhosos foram derramados sobre tua família com essas três pequeninas bençãos. Pára e vede se realmente tens o direito de reclamar por tuas escolhas mal feitas. Procura em teu íntimo o verdadeiro culpado por toda tua tribulação, te adianto a princípio que não foi teu pai que tanto te ama. Sabes bem que tudo que em ti foi investido tem um objetivo que não só o teu gozo. Precisas acolher com humildade os pedidos daqueles que te procuram, vede suas necessidades, enxuga-lhes as lágrimas, da-lhes uma palavra de conforto. Necessita retornar e sentir o que realmente importa a esta altura da caminhada. Refletir suas escolhas e pedir perdão por todas as vezes que ignoraste teu Deus de amor. Prosta-te aos pés daquele que te deu a vida e implora sua misericórdia, não para tribulações presentes, pois estas não as tem, mas para as que ainda virão, estas sim, com um amargor incomparável, suportável apenas se tiveres consciência da tua pequenês diante de teu Deus. Aprender a sofrer, esta é a mensagem que deixamos hoje para ti. Aprender a rezar e reeguer-se diante de aflições tão pequeninas. Fique com a luz que nunca se apaga e que guia tua família, hoje e sempre.


Hianael